Sonda que passou por Plutão envia fotos mais distantes da Terra já registradas

Sonda que passou por Plutão envia fotos mais distantes da Terra já registradas

Você se lembra da sonda New Horizons, que registrou as primeiras imagens precisas de Plutão lá em 2015? Pois ela continua viajando e enviando imagens de volta à Nasa. E, recentemente, ela fez história ao enviar até nós as fotos tiradas mais longe da Terra: segundo a agência espacial estadunidense, essas fotos (que podem ser vistas acima) foram tiradas a 6,12 bilhões de quilômetros do nosso planeta.

A foto em questão mostra alguns objetos do cinturão de Kuiper – 2012 HZ84 (à esquerda) e 2012 HZ 85 (à direita), mais especificamente. Esse cinturão, de acordo com o Gizmodo, é uma espécie de enorme círculo de pedras geladas que envolve o nosso sistema solar. Os corpos celestes que ficam por lá são conhecidos como “KBOs”, uma sigla em inglês que significa simplesmente “objetos do cinturão de Kuiper” – Plutão é um desses objetos, assim como os planetas-anões Haumea e Ceres.

Veja também:Nasa vai testar relógio atômico que pode revolucionar viagens espaciaisNASA encontra satélite perdido após 13 anosNASA pode achar vida em outros planetas com ‘telescópio farejador’; entendaNasa testa minirreator nuclear que pode ser usado em colônias em Marte

Segundo a agência, a New Horizons é a quinta espaçonave a ir além dos planetas do nosso sistema. Até hoje, a mais famosa delas era a Voyager 1, tanto por levar discos feitos para apresentar a humanidade a alienígenas como por produzir a famosa foto do “pálido ponto azul”. Até recentemente, essa era a foto produzida a maior distância da Terra, tendo sido tirada a 6,06 bilhões de quilômetros daqui.

E tem mais vindo aí

O trabalho da New Horizons ainda não acabou: ela vai seguir viajando pelo cinturão de Kuiper a uma velocidade de cerca de 1,12 milhões de quilômetros por dia, capturando mais imagens dos objetos próximos a ela. Para isso, ela usa um sensor seu chamado LORRI, ou “Long Range Reconnaissance Imager”. Fotos como essa podem ajudar astrônomos a entender melhor a composição dos objetos do cinturão – o que, por sua vez, pode nos dar pistas sobre a origem do nosso sistema solar.

Recentemente, a sonda passou pela correção de curso mais remota já feita pela Nasa: os astrônomos da agência orientaram a sonda a passar perto de um objeto do cinturão, conhecido como 2014 MU69. O encontro deve acontecer em 1 de janeiro de 2019, e naquela ocasião a sonda deve bater o próprio recorde. Por ora, no entanto, ela está “hibernando” para economizar energia, e será reativada no dia 4 de junho para iniciar os preparativos para essa sessão de fotos.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.